Resenha literária: Apenas um garoto

quinta-feira, 1 de setembro de 2016
Seamus Rafael Goldberg, ou como ele prefere ser chamado, Rafe é um menino que está no ensino médio, estuda em uma escola super liberal e tem os pais mais divertidos e compreensivos que alguém pode ter, mas ele resolve passar por uma grande mudança. Rafe é gay, mas tá cansado de tal rótulo, então resolve se mudar pro outro lado do país e estudar em um internato só para meninos, bizarro? Não tanto.
Rafe viu isso como uma chance de recomeçar do zero e logo no primeiro dia já se enturma em um grupo que nunca se imaginou participando, o dos atletas, e conhece seu colega de quarto que é um tanto "diferente" do seu novo grupinho, porém ninguém sabe que ele é gay, aliás, essa é a intenção, que ninguém saiba e ele possa ser "liberado" desse rótulo, dessa barreira. Em toda essa mudança ele acaba criando novos amigos, inclusive um deles é seu professor de redação, aprendendo mais sobre as pessoas e principalmente sobre si mesmo.
Mas agora vem as grandes perguntas e reflexões do livro: você já pensou o quão chato é ser rotulado? E quando esse rótulo sobressai todas as tuas outras características? Chato, não é mesmo? Já pensou, refletiu, sobre o conceito de tolerar e aceitar? E que talvez essa não seja a resposta? Bom, o livro traz tudo isso e muito mais, é um livro pra refletir, tanto com a situação da comunidade LGBT, quando por diferenças culturais e muitas outras, e tudo isso acontece junto com a história de Rafe. 
Apenas um garoto, do Bill Konigsberg é o primeiro título LGBT da editora Arqueiro, lançado no mês de julho, ele é de fácil leitura e compreensão, li em um dia facilmente, e já vou logo dizendo, ele foge do final óbvio para todos.
"Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa.Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco.O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros."
Mas e ai, já acompanha a mim e ao blog nas redes sociais? É inscrito no canal? Não? Então bóra, tem muito conteúdo legal por lá!

Sophia Cuñado 

10 comentários:

  1. Que lindo, fiquei curiosa.
    As fotos ficaram incríveis.

    Beijinhos ;*
    Blog Menina Caprichosa | Canal Youtube | Facebook | Insta

    ResponderExcluir
  2. Eu amei sua Resenha.
    Bateu aquela vontade de ler esse livro.

    Beijinhos e sucesso.

    www.segredosdajuhcosta.com

    ResponderExcluir
  3. AMEI A IDEIA DESSE LIVRO, simplesmente não estou conseguindo lidar com tamanha genialidade. Estamos todos acostumados com "o menino gay que sai de casa para sair do armário" e quando vem esse tipo de leitura parece que é um avanço pra mostrar que: não importa tua orientação sexual, você é um ser humano, sente as mesmas necessidades. Preciso ler esse livro, obrigado pela indicação

    http://www.pinkisnotrose.com

    ResponderExcluir
  4. O quanto sua resenha me causou o bichinho do "preciso saber o final" não tá escrito!!!! PRECISOOOOO DESSE LIVRO.
    P.S.: Você tá arrasando cada vez mais nas fotos! Parabéns mesmo Sophi!


    Beijos,
    www.juliacharan.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro muito bom, recomendo! E obrigadaaa ♥

      Excluir
  5. Ai eu não sabia que a Arqueiro já tinha livros LGBT! Achei a temática interessante, esse personagem me lembrou um pouco o principal de "Quem é você, Alaska?", acho que pela característica de querer mudar de espaço, sabe? Enfim, achei bem interessante!

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o primeiro título LGBT da editora! Eu não li Quem é você, Alaska? mas é essa a ideia e eu recomendo o livro pra pensar, refletir! ♥

      Excluir

Oba, deixa um comentário aqui dizendo o que achou do post!