Que curso escolher? Design Digital!

domingo, 5 de março de 2017
Na coluna "Que curso escolher?" de hoje a gente tem a Larissa, de 22 anos, formada em Design Digital pela PUCPR desde 2014, vem saber um pouquinho mais sobre a profissão! 
Blog Dá um Zoom

Pergunta: Por que escolheu esse curso?
Larissa: Eu não conhecia o curso 100% na época, porque era a minha segunda opção então eu só vi a carga horária no próprio site da universidade e vi que tinha aulas de desenho, fotografia, vídeos, TV e html então me animei muuuuito por conta dessas aulas! Minha primeira opção era moda, que não pude fazer, então passei o ano inteiro pesquisando mais e mais coisas de Digital e não descobri muito já que o curso era bem novinho na PUC, então arrisquei.

Pergunta: Quais eram as tuas impressões sobre o curso antes e depois de entrar?
Larissa: Logo que entrei eu imaginei um curso mais dinâmico, por conta das aulas, achei que seria bem aprofundado cada uma e com bem mais aulas teóricas. Passei um semestre inteiro soldando uma cabeça com fio de cobre pra depois fotografar e desenhar por cima, foi legal? Foi, mas foram 4,5 meses soldando e 0,5 mês correndo com os desenhos que os professores nem avaliaram direito (o que era o foco, já que a aula era de desenho). Depois quando pude ter uma visão geral do curso eu percebi que entrei no ano errado, nós éramos a terceira turma a se formar (o curso é semestral) então teve muitas falhas que logo na turma posterior a nossa já estavam sendo arrumadas, eles tinham uma carga horária super diferente e as aulas eram melhor formatadas.



Pergunta: As tuas expectativas em relação ao curso estão foram cumpridas? Por que?
Larissa: Pelo fato de termos sido uma turma teste, teve muitas expectativas que passaram lá longe... Tivemos muitas aulas que nem precisavam ter pois eram especificas do curso de Design de Produto, a impressão que eu tinha era que eles tinham que tapar buraco com alguma matéria e foram pegando de outros cursos de design só pra ver no que ia dar e tive muitas aulas focadas muito em aprender a mexer no programa e não criar (Efeitos Especiais era uma delas), o que foi bem chato... MASS tive muitas aulas que valeram a pena como as de animação, usabilidade, as de projeto, jogos, hipermídia,... Como é um curso mais prático eu amava muito colocar a "mão na massa" e criar, criar e criar. E até em matérias meio "chatas" os professores eram legais.

Pergunta: Você teve muitos gastos? Se sim, com o que?
Larissa: Tive mais com xerox pois como eu já desenhava antes de entrar eu já tinha alguns materiais. Teve uma aula em específico (a de design de produto) que eu gastei bem mais pois não tinha markers, blocos de folhas A1 70g, umas folhas diferentes que não lembro o nome, giz pastel seco etc. Basicamente foi isso já que todas as coisas que precisei usar na universidade como mesa digitalizadora, scanner, programas de modelagem, pacote adobe etc., eu podia usar lá no laboratório sem problema nenhum e se eu quisesse os programas eu podia baixar a versão estudante com minha ID da universidade também.

Pergunta: Qual a tua opinião geral sobre o curso e a profissão?
Larissa: O curso é bem voltado pra área digital mesmo como jogos, e-learning, ilustrações, animação, vídeos, aplicativos; o fato dele abordar muitas coisas é bom e ruim ao mesmo tempo, o bom é poder descobrir novas áreas que talvez você nem fazia idéia que existia ou que gostaria tanto (eu AMO programar jogos haha) e o ruim é que não tem muito aprofundamento, claro que isso é do aluno e se você quiser trabalhos extras os professores são ótimos e te ajudam horrores sempre. E é aquilo, muita coisa deve ter mudado desde que me formei e acredito sim que o curso valha muito mais a pena agora do que quando entrei. Já a profissão é igual a qualquer área de design, acredito eu, eu não trabalhei pra empresa depois que me formei, mas quando fui procurar estágio eu percebi que nem tudo são flores, muitas empresas querem contratar um designer e nem sabem muito bem o que você faz, querem que você seja um designer faz tudo e ainda te pagam pouco. Eu segui o caminho freelancer mesmo, trabalhei com ilustrações e agora ilustro camisetas para minha marca. O legal de freelancer é você trabalhar de casa pra qualquer lugar do mundo, conheci várias pessoas que faziam tipografia ou ilustrações de jogos para empresas de outros países até, é bem amplo mas você tem que criar rotinas de trabalho em casa, se não vira festa, sério. haha
Vou dizer uma coisa: sou de artes, mas tenho uma quedinha por toda essa área, porém acho que a minha seria mais o gráfico do que essa, enfim. Achei uma pequena mancada por parte da faculdade fazer a turma de teste, mas no fim tudo dá certo, não é mesmo?! Adorei a participação da Larissa, ela também tem um blog, é o Loud Like Moi, já conhecem?


2 comentários:

Oba, deixa um comentário aqui dizendo o que achou do post!